ENDEPT
Tatiana Nascimento dos Santos

pause record play

: procrastination has never availed me
nothing makes me more perezosa than (de)pression,
depressuring, all-the-way, i di
vagate...

i am from the time when time drained the dawns,
instead of oo
zing chrono
mattered in the second-hand’s guillotine;

& from the perspective that the perineum is a perimeter of pleasure and
that if the pleasure starts constant, and slow, for a good
time only after awhile can you put some
briskness

but with so many
dead
lines of building
mono/mer/: poly scru
tiny of electronic punch’clocks
the grass in tablet, the death in package
love in crumb
"real time"
=
assistedsatellitictransmission
mis(in)voluntaryconduct ma

lembe , relax, for good, just:
stop. (I
I think we turned time
into razor)
<< rewind
Wind Wind Wind,
(I'm from the VCR times too,
pausing at my favorite scene, taperewind n
now play it in s l o o w m o o t i o o n)
the only availing urgency is to get rid of this hurry
(or when a poem invites you for a dance. but the city and its
BPM… and its TICTAC the city and its sirens
my in-plexus drums are so
organic
contregum
my contressic and
m e c h a n i c a l
pace)

: procrastination has never availed me
nothing makes me more perezosa than (de)pression,
depressuring, all-the-way, i di
vagate...

i am from the time when time drained the dawns,
instead of oo
zing chrono
mattered in the second-hand’s guillotine;

Tatiana Nascimento dos Santos

pause record play

eu nunca prestei pra: procrastinação
nada me deixa mais perezosa que (de)pressão,
despressuriza total eu di
vago...

sou do tempo em que o tempo escorria amanheceres,
em vez de es
coar crono
metrado em guilhotina de ponteiro;

& da perspectiva de que o períneo é um perímetro do prazer y
que se o prazer começa constante, y lento, por um bom
tempo só depois de algum tempo dá pra meter
rapidez

mas com tanto
prazo
os prédio
polímero. es
crutínio de ponto eletrônico
grama em tablete morte em pacote
amor em migalha
"tempo real"
=
transmissãosateláriassistida
incompulsoria(in)voluntária ma

lembe, relaxa, de boa, só:
pára. (eu
sou de opinião que fizemos tempo
em navalha)
<< rewind
Wind Wind Wind,
(que eu sou do tempo do videocassete também,
dava uma pausa na cena favorita, voltafita y
dá play no s l o o o w m o o o t i o o o n)
a única urgência que presta é se livrar dessa pressa
(ou intão quando um poema invita pra dança. mas cidade y seus
BPM… cidade y seus TICTAC cidade y suas sirene
meus tambor plexo-dentro são tão
orgânico
contregum
contresses ritmo
m e c â n i c o )

eu nunca prestei pra: procrastinação
nada me deixa mais perezosa que (de)pressão,
despressuriza total eu di
vago...

sou do tempo em que o tempo escorria amanheceres,
em vez de es
coar crono
metrado em guilhotina de ponteiro;

Tatiana Nascimento dos Santos

Tatiana Nascimento dos Santos

Tatiana Nascimento dos Santos
"palavreira": singer, songwriter, writer, publisher at padê editorial. co-founder of 'slam das minas in DF', the first exclusive slam for women/lesbians in Brazil; co-founder of "palavra preta" (black word) - a national exhibition of black women writers; creator of "quanta!" (how much!), LBT exhibition, of "afrokuír" - black LGBTQI+ fuss, of "semilla" - a book fair to women publishers. aquarian.
Read more...
Tatiana Nascimento dos Santos
Translation by
Traducció de
Von
.
.
übersetzt.
Tatiana Nascimento dos Santos
Leia mais...
Tatiana Nascimento dos Santos
Translation by
Von
.
übersetzt.
Tatiana Nascimento dos Santos
Mehr lesen...
Tatiana Nascimento dos Santos
Translation by
Von
.
übersetzt.
back to poemsZurück zu Gedichteretornar aos poemas